sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Resistência Negra







O que vem se chamar de Resistência negra no Brasil ?



Para os Movimentos Negros, resistência negra são todos os movimentos, processos de lutas,fugas , desobediência civil, resistência dos negros africanos e seus descedêntes (afro-brasileiros) em todas as épocas da História do Brasil.São quase 500 anos de luta, de resistência contra a escravidão, o racismo, a opressão e a exploração .

No período Colonial : os negros lutaram contra a escravidão , através de várias rebeliões como por exemplo a participação de na Revolta de Felipe dos Santos, em Minas Gerais, participação de "portugueses e seus negros" contra a opressão dos representantes da Corôa Portuguesa com a questão dos quintos cobrados do ouro e a criação de novas casas de fundição.

Outro exemplo de Resistência foram os Quilombos que surgiram em todo país cujo mais famoso sem nenhuma dúvida foi o Quilombo de Palmares.

A revolta dos Alfaiates na Bahia, tiveram grande participação os negros, queriam a independência do Brasil de Portugal, um regime político igualitário ,onde não houvesse preconceito de cor.

No período Imperial, podemos destacar a Revolta dos Malês em 1835 na Bahia.

De cunho religioso pois eram os rebeldes da religião muçulmana .Proibidos de exercer sua fé islâmica por que a religião oficial do Estado era a Católica . Também era um movimento político pois os malês tinham um organização de assitência mútua aonde buscavam libertar os negros escravos através da alforria.

A Jihad ( guerra santa) dividiam os negros naquela época devido muitos negros escravos

serem católicos, aguerra santa propostas pelos africanos Hauçás e Nagôs eram contra todos infiéis ,inclusive aos negros de religiões diferentes : católicos, umbanda, candomblé . Isso enfraqueceu a luta e promoveu a delação.Vencidos foram tratados com a tradicional brutalidade: chibatadas, torturas e forca.

No período Repúblicano são varios os processos de lutas e resistência , desobediência civil , destacamos: a Revolta da Vascina com ampla participação popular em que os personagens negros estavam presentes, capoeiristas, religiões afro-brasileiras contra a expulsão das classes menos favorecidas do centro do Rio de Janeiro e devido tambem aquestão da vascina obrigatória imposta pelo governo do Rio de Janeiro a todos os moradores, a falta de conscientização feita pelo governo fez com que eclodisse a revolta.

Outra importante revolta aconteceu na Marinha brasileira: A Revolta da Chibata comandada pelo marinheiro negro João Candido contra os castigos e os trabalhos forçados e a rigidez o qual eram tratados os negros marinheiros. Após um período de acordo entre a Marinha brasileira e seus marinheiros e o Governo, com várias greves e motins provocados pelos proletários, o governo decreta estado de sítio e começa uma longa fase de repressão , os marinheiros que participaram da revolta foram todos presos, torturados e muitos foram conduzidos para a região do Amazonas aonde muitos foram fuzilados, outros torturados. João Candido lider da revolta foi preso e torturado por dezoito meses , sem ter um julgamento ,sendo liberto através da ajuda das irmandades religiosas de Nossa Senhora do Rosário uma das mais antigas Confrarias Negras da cidade do Rio de Janeiro que lhe pagaram advogados.

No início da década de 1930 surgiu através de várias entidades negras,movimentos negros, a Frente Negra Brasileira que se tornaria a mais poderosa organização política negra de massa do século XX . Combatia o racismo, alertava contra as péssimas condições de vida da população negra, saúde e educação no Estado de São Paulo.

Tinha ramificações em muitos Estados como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Maranhão, Sergipe, Bahia, Pernambuco. Em 1936 a Frente Negra transforma-se em Partido político, com o golpe militar e o Estado Novo decretado por Getúlio Vargas, o partido Frente Negra é dissolvido perdendo sua força política até o seu fim em Maio de 1938.

Na decada de 1940 tem como principal foco de Resitência o comitê democrático afro-brasileiro e o teatro experimental negro, um com finalidade de combater o racismo e dar anistia política para os presos políticos e outro tinha um caráter de combate ao racismo pela arte e cultura;

Com o fim do golpe Militar novas mudanças aconteceram no cenário brasileiro rearticulando os processos de resistência e luta política dos afro-brasileiros , movimentos culturais como Soul ( Black Rio) bailes , criação nas universidades de núcleos de estudo afro-asiáticos, de cultura negra e o surgimento do movimento politico MNU (Movimento Negro Unificado) em 1978.

Atualmente são vários movimentos negros combativos em todo Brasil que procuram lutar,promovem a conscientização dos negros com relação a sua cor ,sua cultura, enfretando o Racismo por uma sociedade mais democrática.

REFERÊCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERREIRA,Yedo .O Movimento Negro e as eleições.Rio de Janeiro,SINBA,1983

GONZALES,Lélia e Carlos Halsenbalg.Lugar de Negro.Rio de Janeiro,Marco Zero,1982

Coletânea de textos do Movimento Negro Unificado. 1984

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Besouro o filme

video

Como tratar de Resistência Negra sem comentar sobre a Capoeira? Cultura e tradição afro-brasileira, mistura elementos de luta,dança, tradição oral e ritmos africanos .

Este filme pareci ser uma dica boa pra ver estas características.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

A Importância da Oralidade nas sociedades africanas subsaarianas

Até os dias atuais, a maior parte das sociedades africanas subsaarianas consideram a importância da oralidade (fala), ao conhecimento adquirido,transmitido de geração para geração por meio das palavras proferidas com cuidado pelos tradicionalistas- os guardiões da tradição oral, que conhecem e transmitem as idéias sobre a origem do mundo, as ciências da natureza, a astronomia e os fatos históricos.
Nessas sociedade de tradição oral, a relação entre o homem e a palavra é mais intensa.A palavra tem um valor sagrado,sua origem é divina.A fala é um dom,não podendo ser utilizada de forma imprudente, leviana, de qualquer jeito ou sem critério.Ela tem o poder de criar,mas também o de conservar e destruir.Uma única palavra pode causar uma guerra ou proporcionar a paz.
Alguns ofícios (trabalhos) existentes nas sociedades africana estão relacionados à tradição oral,
a um conhecimento sagrado,a ser revelado e transmitido para as futuras gerações; é o caso dos ferreiros,carpinteiros,tecelões,caçadores e agricultores.Os mestres que realizavam essas atividades fazem-no ao mesmo tempo em que entoam cantos ou palavras ritmadas e gestos que representam o ato da criação.
Os griots ou animadores públicos também são tradicionalistas responsáveis pela história,música,poesia e contos. Existem griots músicos,tocadores de instrumentos,compositores e cantores, os griots embaixadores,mediadores em caso de desentendimento entre as famílias, e os griots historiadores,poetas,genealogistas( que trabalham a árvore genealógica,origem das famílias) este são contadores de histórias.
O aprendizado de um tradicionalista ocorre nas escolas de iniciação e no meio familiar,no qual o pai, a mãe e os parentes mais velhos também são responsáveis pelos ensinamentos, por meio de suas própiras experiências, lendas fábulas,provérbios e mitos sobre a criação do mundo.
Assim, os idosos em grande parte das sociedades africanas teêm um papel grandioso na transmissão de valores e conhecimentos para os mais jovens.
Os mais velhos por meio da sua experiência, transmitem alem dos mitos e provérbios , a moral á ética , o papel do homem no Universo,a existência do mundo dos vivos e dos mortos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MATTOS,Regiane Agusto de.História e cultura afro-brasileira,São Paulo: Contexto,2007 .

Tambores de Minas

video

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Comunidade dos Arturos

video

A IMPORTÂNCIA DOS CANTOS E DAS LETRAS NAS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DOS AFRODESCENDÊNTES

Este artigo pretende discutir teoricamente a importância do canto e das letras nas manifestações culturais afrodescendentes, tendo como objeto de pesquisa, a manifestação do Congado mineiro na festa de Nossa Senhora do Rosário em Contagem na comunidade dos Arturos. Além disso, torna-se importante também; descrever historicamente como se constituiu a comunidade dos Arturos , os mecanismos de resistência cultural que esta comunidade estabeleceu e estabelece, para a manutenção da tradição familiar e a fé em Nossa Senhora do Rosário, mãe e defensora do povo negro.

“A fé é muito importante na vida da pessoa, quem tem cresce, quem não tem fé, não respeita os outros.Teve fazendeiro que ia se acabando,se agarrou a ela, e ficou bom.Outro fez promessa, não cumpriu e as coisas ruins acabaram voltando.Nós já vimos muitos milagres”.
Mario Braz da Luz

A origem dos Arturos provém da união de Camilo Silvério com Felisbina Rita Cândida.
De acordo com a pesquisa de Gomes & Pereira (1988), Camilo Silvério teria chegado em Minas gerais como escravo no terceiro quartel do século XIX. Sobre Felisbina Rita Cândida pouco se sabe de sua origem , mas sua influência permanece na memória afetiva dos Arturos. A partir do filho deste casal, Arthur Camilo Sivério, é que têm a formação da comunidade. Sendo Arthur Camilo Silvério a figura central e simbólica, afetiva e de força religiosa que manteve seus descendentes na herança negro-africana.

“ A figura do pai encarnou o simbolismo da unidade ,filtrado através da religião.Arthur Camilo remete a lembrança para os ancestrais que são o arcabouço mantenedor da vitalidade dos Arturos Contemporâneos.” (GOMES; PEREIRA,1988,p.119)

Ele trabalhou nas fazendas de grandes senhores que dominaram o município de Contagem. Sofreu moral e fisicamente nas mãos dos senhores. Após a abolição, comprou o pedaço de terra onde a comunidade vive até hoje, em Contagem. Localizado no centro industrial de Contagem, mesmo com a influência da modernidade que os envolve,os Arturos conseguem manter as raízes culturais,ainda que exista influências dos valores novos com os valores e saberes antigos, dados pela cosmo visão africana. Estes elementos são reforçados pelos laços de família que são intensos, as festas religiosas, a propriedade que é coletiva e a estruturação de uma Irmandade. A origem familiar da comunidade data nos primeiros anos do século XX. A identidade da comunidade está ligada ao Congado, manifestação dos negros e seus descendentes no Brasil, e especialmente em Minas Gerais. Esta tradição têm uma íntima ligação com a África mãe. O congado é fruto daquilo que os estudiosos de cultura chamam de produto híbrido. Nele vemos elementos da África, da Península Ibérica e manifestações que só existem no Brasil, estas também resultantes de vários processos de hibridação.
O Congado é formado por três elementos,de acordo com Camara Cascudo: Coroação dos reis congos; préstitos e embaixadas; danças guerreiras comemorativas.
O Reinado é um dos componentes do congado, onde acontece a coroação dos reis e à constituição de uma corte. Em Minas ficou muito difundido pela constituição de Confrarias, havendo eleições para reis e outras funções que se regulamentavam através de compromissos. Em Minas Gerais ficou marcado a forte presença do Catolicismo de Confraria, com a forte atuação das Irmandades do Rosário. No caso dos Arturos a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário se compõe das guardas de Congo e as guardas de Moçambique do Reinado e da parte administrativa da associação (presidente,vice presidente, primeiro secretário, segundo secretário, tesoureiro primeiro e segundo e capitão –mor).
A coroação dos Reis Congos vem de uma prática antiga nos primórdios do século XVII, onde os negros coroavam seus reis como forma de manutenção de uma organização social que visava manter uma liderança que intermediasse a vinculação com o sagrado. Foi aceito pela Coroa portuguesa e pela Igreja Católica para que se pudesse manter a ordem, o controle dos escravos.

As embaixadas são de acordo com Gomes & Pereira(1988) ,lutas de poder entre os lideres das diversas guardas de Congado, cada embaixador, líder da guarda ,disputa para demonstrar a força do grupo,são duelos verbais acompanhados de linguagem gestual e movimentos, dando vitória ao grupo que melhor representasse , a nível mítico, a devoção a Senhora do Rosário ou aos Santos Pretos, Benedito e Efigênia.
Os bailados guerreiros são comemorações de vitória ou pedidos de intersecessão das forças cósmicas ,são ofertas dirigidas às divindades. Rememoram a ancestrais como a Rainha Ginga e a Chico-Rei que foram símbolos de resistência negra contra a opressão e domínio dos portugueses.
Para os Arturos a festa do Rosário é uma das celebrações mais importantes para vida da comunidade, fazem parte do Reinado de Nossa Senhora do Rosário as guardas de Congo e as guardas de Moçambique. A origem destas guardas têem uma fundamentação mítica, função, vestuário, símbolos condutores, instrumentos distintos, tipo de movimento e de dança e linguagem dos cantos que as diferenciam.
A origem do Congado vem do processo de evangelização na África quando foi introduzida a imagem de Nossa Senhora do Rosário pelos missionários Dominicanos A Fundamentação mítica diz que as guardas de Congo e as guardas de Moçambique representados pelos negros escravos retiram uma imagem de Nossa Senhora das águas.A guarda do Congo sendo a guarda mais jovem,vai abeira da praia com seus tambores e cantos e tenta retirar a imagem que faz um movimento mas não se consegue retirá-la. Aguarda de Moçambique que representa os mais antigos,com seus cantos mágicos, pediram proteção à Santa ,que veio ao seu encontro até chegar a praia.
Em relação aos cantos, sua estruturação e motivos percebemos: No Congo, a estrutura do canto é mais fixa,descrevendo aspectos da vida mais recente do grupo,bem como o seu cotidiano, as alegrias e tristezas. Já no Moçambique, os cantos se referem ao passado distante, mítico, mágico, trazendo a memória dos ancestrais, memórias de Àfrica, utilizando dos recursos de improvisação na formulação dos cantos, bem como da criatividade do capitão que verbaliza o canto.
Na expressão musical dos cantos são re-elaborados os laços com a concepção e procedimentos musicais africanos.A importância e significado ritual da música e sua letra, têem também funções de caráter pedagógico para os membros mais jovens da comunidade.A música assim demonstrada através do canto, traduz essa cosmo-visão, evocando o passado e ao mesmo tempo, em uma relação dialética participando dos processos de transformação dados pelo momento atual vivenciados pelos membros da comunidade dos Arturos.
Podemos perceber então, como a música expressada nas letras dos cânticos,constituem como um dos elementos de reafirmação cultural, resistência dos Arturos ,frente aos desafios dados pela modernidade. Os cânticos estão presentes em todas as situações do cotidiano e principalmente nas festas religiosas . Cantar e dançar são para os Arturos um dever, um trabalho, uma promessa que os antepassados ensinaram, fenômeno de resistência , força ,sobrevivência da cultura negra.O encontro da dor e da alegria na festividade são pólos dialéticos.O cantar se expressa nesta dialética de se sofrer e de se alegrar.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
COMUNIDADE dos Arturos, preserva a tradição. Dois Pontos, v.2,n12,abr 1992.
p.60-61.

GOMES,Núbia Pereira de M.;PEREIRA,Edimilson de Almeida.Negras raizes mineiras: os Arturos.Universidade Federal de Juiz de Fora,1988.

MARTINS,Leda Maria. Afrografias da Memória: O Reinado do Rosário do Jatobá.
São Paulo: Mazza Edições,1997.

PEREIRA,Edimilson de Almeida.Educação em festas populares.Presença Pedagógica, v.9,n51,mai /jun .2003.










terça-feira, 6 de outubro de 2009

Debate sobre cultura indígena parte 2

video

O Movimento Negro

O Movimento Negro, compõem-se de um segmento social muito abrangente e complexo, possuindo articulações nas áreas políticas, culturais :com os grupos de
Hip Hop, Funk, grupos de teatro e também grupos religiosos: como os centros de Umbanda, Candomblé,coletivo de mulheres negras; Segundo Santos(1994:157)

São todas as entidades de qualquer natureza, e todas as ações, de qualquer tempo( compreendidas por defender física e culturalmente o negro)fundadas por negros, entidades religiosas,assistenciais,(como as confrarias no período colonial)recreativas (como clubes negros) e artísticas( como inúmeros grupos de dança,capoeira,teatro,poesia) culturais como diversos centros de pesquisa e políticas como o Movimento Negro Unificado e ações de mobilização política, de protesto antidiscriminatório, de aquilombamento, de rebeldia armada, de movimentos artísticos, literários e “folclóricos”- toda essa complexa dinâmica, ostensiva ou encoberta, extemporânea ou cotidiana, constitui Movimento Negro.




http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2003/04/252826.shtml
[1]CF. CARDOSO, Marcos Antônio . O Movimento Negro em Belo Horizonte : 1978-1998, p137-157.

domingo, 4 de outubro de 2009

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Definindo alguns Conceitos

Cultura (Edward Tylor)

E´ o todo complexo que inclui conhecimentos, crenças, arte, moral, leis, costumes ou qualquer outra capacidade ou hábitos adquiridos pelo homem enquanto membro de uma sociedade.
Qualquer sistema cultural está num contínuo processo de mudança.

A existência humana é marcada pela cultura e é ela a própria fundamentação da humanidade. Cultura é criação/ aprendizagem/ criação. É modificada, enriquecida, num processo constante, consciente e inconsciente, por acaso e por necessidade. Por isso a cultura marca, registra e pauta as condutas humanas. O ser humano é muito pouco programado.

Geertz concebe a cultura como uma "teia de significados" que o homem tece ao seu redor e que o amarra. Busca-se apreender os seus significados (sua densidade simbólica).

Malinowski (1965) afirma que a cultura não é estática e que acompanha as modificações da sociedade; desta forma conclui-se que a organização formal é dinâmica e assim se transforma de acordo com as interações sociais.

IDENTIDADE CULTURAL

A identidade cultural é um conjunto vivo de relações sociais e patrimônios simbólicos historicamente compartilhados que estabelece a comunhão de determinados valores entre os membros de uma sociedade. Sendo um conceito de trânsito intenso e tamanha complexidade, podemos compreender a constituição de uma identidade em manifestações que podem envolver um amplo número de situações que vão desde a fala até a participação em certos eventos.
A identidade cultural não pode ser vista como sendo um conjunto de valores fixos e imutáveis que definem o indivíduo e a coletividade a qual ele faz parte.
O intercâmbio e a modificação são caminhos que orientam a formulação e a construção das identidades modernas.

Etnia

O conceito etnia deriva do grego ethnos, cujo significado é povo. A etnia representa a consciência de um grupo de pessoas que se diferencia dos outros. Esta diferenciação ocorre em função de aspectos culturais, históricos, linguísticos, raciais, artísticos e religiosos.
A etnia não é um conceito fixo, podendo mudar com o passar do tempo. O aumento populacional e o contato de um povo com outros (miscigenação cultural) pode provocar mudanças numa determinada etnia.